Proseando

A raposa e o leão

A raposa estava em seu covil bem fechado, gemendo porque estava doente. Chegou à porta um leão e perguntou-lhe como estava, que a deixasse entrar, porque a queria lamber, que tinha virtude na língua, e lambendo-a, logo havia de sarar.
Respondeu a raposa de dentro:
— Não posso abrir, nem quero. Creio que a tua língua tem virtude; porém é tão má vizinhança a dos dentes, que lhe tenho grande medo, e portanto antes quero sofrer com o meu mal.

Esta fábula nos ensina a sermos precavidos por mais que estejamos em situação de sofrimento. Não se sabe se o leão tinha de fato o desejo de ajudar ou se o rei da selva viu naquela situação apenas uma oportunidade de conseguir uma presa fácil. Sem saber a intenção do leão e sem confiar no seu discurso, a raposa adotou uma postura de defesa.

Professora universitária - Mestre em Administração e Blogueira nas horas vagas. Cada um tem a parte de mim que conquistou. Sou mulher, fera, amiga, bruxa e fada. Só não sou obrigada.

%d blogueiros gostam disto: