Curiosidades

O galo sem cabeça

História real. Em 10 de setembro de 1945, Lloyd Olsen e sua esposa Clara estavam matando galinhas em sua fazenda em Fruita, Colorado. Olsen decapitava as aves e sua mulher limpava-as. Mas um dos 40 ou 50 animais que passaram pelas mãos de Olsen, naquele dia, não se comportou como o resto. O frango se debateu, correu e não parou.
Ele foi colocado em uma caixa velha, no alpendre da fazenda, e quando Lloyd Olsen acordou na manhã seguinte, ele saiu para ver o que tinha acontecido. O animal ainda estava vivo e se tornou muito famoso em todo os EUA.

A família, viajando por todo o país, se aproveitou do “milagre de Mike” para ganhar a vida. Mas como é possível que o galo tenha sobrevivido sem a sua cabeça? Parece que o corte, no caso de Mike, foi exatamente no lugar certo e um coágulo de sangue oportuno o impediu de sangrar até a morte. Olsen tentou replicar o feito, sem sucesso, diversas vezes depois.

Para uma pessoa, perder a cabeça quer dizer perder o cérebro, mas no caso dos galos, é pequena a quantidade cerebral localizada na parte frontal da cabeça. Tom Smulders, do Centro de Comportamento e Evolução da Universidade de Newcastle, na Austrália, diz que 80% da massa cerebral do animal ficou em seu corpo, o impedindo de morrer.

Para manter o animal sem cabeça, vivo, a família o alimentava com comidas líquidas e água através de uma conta-gotas que era introduzido diretamente no esôfago do galo. Vale frisar que o galo estava vivendo em estado vegetativo, não sentindo nada.

Professora universitária - Mestre em Administração e Blogueira nas horas vagas. Cada um tem a parte de mim que conquistou. Sou mulher, fera, amiga, bruxa e fada. Só não sou obrigada.

%d blogueiros gostam disto: